Logo Raes__Es

Terceira edição do curso de alimentação escolar capacitará mais de 3 mil profissionais

Capacitação integra as ações da Rede de Alimentação Escolar Sustentável, promovida pelo Governo do Brasil com o apoio da FAO.

Santiago de Chile, 10 de maio del 2022 – A terceira edição do curso ‘A Alimentação Escolar como Estratégia Educativa para uma Vida Saudável’ começou com uma aula virtual aberta transmitida pelas redes sociais, no dia 4 de maio, e atingiu um público de mais de 3 mil pessoas.

Na edição de 2022, cerca de 3,2 mil profissionais da Colômbia, Guatemala, Peru e República Dominicana participarão das aulas pré-gravadas, ao longo de 13 semanas. Nas últimas duas edições, foram capacitados quase cinco mil profissionais da região.

O curso integra as atividades do projeto Consolidação de Programas de Alimentação Escolar na ALC, iniciativa do Programa de Cooperação Internacional Brasil-FAO realizado em conjunto pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), pela Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC/MRE) e pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). É também uma iniciativa da Rede de Alimentação Escolar Sustentável (RAES), promovida pelo Governo do Brasil.

Abertura

A aula inaugural foi realizada durante o webinar ‘Escolas Sustentáveis: Uma década de transformação da alimentação escolar, com foco no direito humano à alimentação adequada’, que comemorou os 10 anos de implementação dessa metodologia na região. Na ocasião, foi apresentado o estudo ‘A Situação Situacional das Escolas Sustentáveis ​​na América Latina e no Caribe – 2021’, produzido no âmbito do projeto de alimentação escolar.

Plínio Pereira, representante da ABC/MRE, destacou que o interesse, o número de participantes e os resultados positivos das edições anteriores constituem importantes conquistas para a cooperação técnica Sul-Sul, cujo foco é o desenvolvimento das capacidades locais a partir do intercâmbio de práticas bem-sucedidas. “Em um momento em que a comunidade mundial acelera os esforços para encontrar soluções transformadoras para os sistemas alimentares e garantir o acesso a alimentos saudáveis, seguros e sustentáveis, a publicação e o curso colocam a Cooperação Sul-Sul na América Latina e Caribe plenamente alinhada a esse propósito“.

A coordenadora do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) do Brasil, executado pelo FNDE, Karine Santos, reforçou o compromisso do Governo do Brasil com a cooperação Sul-Sul e destacou a relevância da educação e capacitação dos atores envolvidos. “Fortalecer todos os níveis de governo, em todas as frentes de ação, é muito importante“, disse. 

Na opinião do Oficial de Nutrição da FAO, Israel Ríos, o fato de o curso ter capacitado e sensibilizado 5.000 profissionais nas duas versões é uma conquista fabulosa do curso. Ele acrescentou que a Rede de Alimentação Escolar Sustentável, a RAES, por meio de sua plataforma em três idiomas, facilitará a troca de conhecimentos e lições aprendidas.

Vamos nos capacitar em temas importantes como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), direito humano à alimentação adequada, segurança alimentar, educação alimentar e nutricional (EAN), hortas escolares e outros”, disse Milagros Espinoza, coordenadora do curso. Os dois tutores, Alejandra Brunet e David Pastrana, também cumprimentaram brevemente os participantes.

O curso busca promover a reflexão e o entendimento sobre a importância das políticas públicas de alimentação escolar como estratégias de promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, segurança alimentar e nutricional (SAN), educação, saúde, nutrição, proteção social e cuidado com o meio ambiente, inclusive no contexto de pandemia e pós-pandemia. Além disso, a formação tem o objetivo de fortalecer as capacidades dos profissionais das áreas de nutrição, educação, saúde, agricultura e outras com foco no desenvolvimento, implementação e monitoramento de ações de educação alimentar e nutricional (EAN) no âmbito da alimentação escolar. 

A voz dos países

Juan David Vélez, subdiretor geral da Unidade de Administração Especial de Alimentação Escolar da Colômbia, destacou a alta participação de estudantes de seu país – cerca de 900 profissionais – das diversas áreas da comunidade educativa. Além disso, ressaltou que aprender como se faz em outros territórios é um grande avanço. “A Cooperação Brasil-FAO tem feito muito ao formar 5.000 atores diferentes de toda a região.

Da Guatemala, Liliana Ventura, representante da Direção Geral de Fortalecimento da Comunidade Educativa (Digefoce), comentou que o curso é uma excelente oportunidade de formação. “Reitero a minha gratidão a todos os que tornam esta formação possível e aos participantes por aproveitarem esta oportunidade. Que este investimento de tempo seja utilizado a 110% e se traduza em melhorias visíveis e concretas nas nossas comunidades educativas.

Por sua vez, Elizabeth Rojas Lara, diretora executiva de Promoção da Saúde no Peru, destacou que este curso virtual é importante porque permitirá que os profissionais possam desenvolver, implementar e monitorar ações relacionadas à alimentação escolar, especialmente educação alimentar e nutricional.

Ocirema Caminero, chefe de gabinete do Instituto Nacional de Assistência ao Estudante (Inabie) da República Dominicana avaliou: “O curso representa uma ferramenta de grande importância para o fortalecimento dos PAE em toda a região pelas implicações positivas na nutrição, no impacto ambiental, na produção e com uma abordagem humana, que é o mais importante“.

O representante da FAO na República Dominicana, Rodrigo Castañeda, destacou que a Cooperação Internacional Brasil-FAO foi pioneira na promoção desses programas de alimentação escolar na região na última década e destacou o importante papel das Escolas Sustentáveis. “São experiências que servem para fazer melhorias contínuas, além de serem um mercado institucional para os pequenos agricultores e uma oportunidade de melhorar o meio ambiente e a educação.

A alimentação escolar é um tema muito importante em nossa organização e este curso serve de inspiração para outros projetos. Estamos muito felizes em fazer parte desse movimento”, disse Paola Barbieri, analista de projetos da ABC, no encerramento do evento. Dirigindo-se aos estudantes, completou: “Vocês serão os grandes agentes de mudança nos países.

Conteúdo publicado originalmente no site da Cooperação Brasil-FAO.