Logo Raes__Es

Cooperação Brasil-FAO apoia missão técnica para fortalecer alimentação escolar em República Dominicana

Participantes se reuniram com altas autoridades do governo local e responsáveis pela alimentação escolar no país de distintos setores

O projeto Consolidação de Programas de Alimentação Escolar – PAE na América Latina e no Caribe, executado no marco da Cooperação Internacional Brasil-FAO, participou de missão técnica em República Dominicana entre os dias 13 e 17 de junho. Na agenda estiveram encontros com autoridades de distintos níveis de governo, parlamentares, gestores, técnicos responsáveis pela alimentação escolar e integrantes do Instituto Nacional de Bem-Estar Estudantil (INABIE).

A convite da FAORD e do governo local, integraram a missão técnica a Oficial de Segurança Alimentar e Nutricional da FAO, Daniela Godoy, o Oficial Regional de Nutrição da FAO, Israel Ríos e a coordenadora regional do supramencionado projeto, Najla Veloso.

A missão técnica da FAO com autoridades da República Dominicana

Um dos objetivos da missão foi dar visibilidade à parceria entre a FAO local e o INABIE a partir do projeto ‘Entorno escolar saudável através de estratégias inovadoras para o fortalecimento do programa de alimentação escolar’. Outra meta foi oferecer e disponibilizar suporte técnico e acompanhamento para reforçar as alianças estratégias no país para integrar os atores-chave da alimentação escolar no nível nacional e local, do setor público, privado e da academia.

Durante a missão, foram identificados desafios e oportunidades para a melhoria da alimentação escolar no país, já que o INABIE está revisando e atualizando seu programa de alimentação escolar. “Ter esse acompanhamento e intercâmbio nos permite adquirir experiências que já deram resultado”, disse Victor Castro, diretor-executivo do INABIE. “Estamos convencidos de que, após os ajustes às realidades do nosso país, também teremos uma alimentação de qualidade, que é o desejo de todos nós”, destacou Castro, lembrando que 1,8 milhão de estudantes são atendidos por essa política no país.

Escolas Sustentáveis

Entre os aspectos a serem fortalecidos no programa do país está a ampliação da metodologia de Escolas Sustentáveis, desenvolvida pela Cooperação Brasil-FAO desde o ano 2014 nesse país, hoje presente em mais de 23 mil centros escolares na América Latina e no Caribe. Também foram destaques o incentivo às compras públicas da agricultura familiar, a implementação da EAN, a adoção de hortas escolares, a melhoria da infraestrutura escolar e, principalmente, a melhoria da qualidade dos alimentos e das dietas oferecidas nas escolas aos estudantes

Visitas

Uma das atividades da missão foi a visita ao Liceu Politécnico Víctor Estrella Liz, em Santo Domingo, e à Escola Mata Limón, em Monte Plata, onde foi possível acompanhar in loco a execução da política de alimentação escolar. A visita permitiu ouvir dos estudantes suas sugestões e recomendações para melhoria dessa política e dos alimentos oferecidos.

A missão também foi ao encontro de agricultores familiares na instituição Casa Sombras, localizada região de Monte Plata, para dialogar sobre compras públicas. Israel Ríos-Castillo, Oficial de Nutrição da FAO, defendeu a inclusão de alimentos saudáveis na escola, especialmente adquiridos da agricultura familiar local.

Visita à Escola Mata Limón, localizada na região de Monte Plata.

“Com isso, é possível aproximar o produtor rural da escola e melhorar a alimentação, como frutas, verduras e legumes”. Castillo destacou a importância de se aprovar leis para fortalecer essas políticas e garantir essas compras. “Aqui há condições muito importantes para poder impulsionar e fortalecer a alimentação escolar: a vontade política e a coordenação intersetorial”, resumiu Daniela Godoy, Oficial de Segurança Alimentar e Nutricional da FAO.

Rodrigo Castañeda, Representante da FAO na República Dominicana, acrescentou que a alimentação escolar é “fundamental para garantir uma alimentação saudável aos estudantes por meio da melhoria dos cardápios e do apoio à produção local e à agricultura familiar, incorporando a compra pública de produtos frescos”.

“Acreditamos muito no intercâmbio de experiências e de conhecimentos para fortalecer e consolidar a alimentação escolar em Republica Dominicana e em toda a região de ALC”, disse Najla Veloso. “Reiteramos nosso compromisso de apoio à República Dominicana e valorizamos a disposição da elaboração de marcos legais para fortalecer esse programa e consolidar a garantia do direito humano à alimentação adequada para todos os estudantes”.

Reunião com parlamentares da República Dominicana

Também foi realizada uma visita ao Parlamento da República Dominicana para um diálogo com a Frente Parlamentar contra a Fome. A conversa abordou a importância de se adotar um enfoque baseado nos direitos humanos para a alimentação escolar, bem como a sensibilização sobre a importância de marcos legais e normativos para fortalecer essa política. A Frente se comprometeu a elaborar um projeto de lei para a alimentação escolar, que contará com o apoio da FAO e da Cooperação Brasileira.

Em visita ao Ministério da Saúde, os integrantes da missão reafirmaram a relevância da implementação da EAN e do desenvolvimento de planos para supervisionar a qualidade dos alimentos e a execução de pesquisas sobre a saúde estudantil.

Entre os compromissos institucionais agendados estão a construção de um plano de trabalho FAO e INABIE para assistência técnica, a organização de uma visita técnica ao Brasil para intercâmbio de experiências entre os países e a elaboração conjunta de um projeto de lei para a alimentação escolar junto ao Congresso Parlamentar Dominicano.

Conteúdo produzido originalmente para o site da Cooperação Internacional Brasil-FAO